domingo, 26 de setembro de 2010

Por que é tão difícil respeitar a natureza?

As questões relacionadas à preservação da natureza são exaustivamente abordadas nas escolas, nos meios de comunicação, nas ruas e etc. Também pudera, pois não é de hoje que o nosso planeta sofre com tanta industrialização, crescimento desordenado das áreas urbanas, desmatamento, queimadas, utilização de fontes de energia esgotáveis e aumento da população. Assim, a palavra de ordem é PRESERVAR que significa resguardar.


A pergunta é simples:
O que você faz para preservar a natureza?

Devo completar o seu raciocínio com outra questão:
Quando você preserva a natureza, faz por livre e espontânea vontade ou devido ao apelo da mídia e demais setores da sociedade?

Uma das questões humanas mais difíceis de lidar é com a mudança dos nossos hábitos. Nós acostumamos com um certo jeito de viver e, quando precisamos alterá-lo, exige muita paciência e força de vontade. É assim com os vícios _ como o cigarro, a bebida _ com a vontade de emagrecer por alterar todo um estilo de vida e também é desta maneira com a preservação da natureza.

Para alguns, é extremamente complicado abdicar do conforto do carro para utilizar o nosso sistema de transporte público ou andar de bicicleta pelas ruas movimentadas das grandes cidades. Outros não conseguem tomar aquele banho relaxante após um dia cansativo de trabalho abaixo dos 15 minutos de duração. Deixar a casa toda iluminada para não ter o trabalho de apagar e acender a luz dos cômodos também é o hábito que muita gente possui e nem se dá conta do impacto que este pequeno gesto causará no futuro.
Outro gesto também difícil de ser combatido é o desperdício de água, pois nem percebemos quantos litros são perdidos ao acionarmos a descarga, ao escovarmos os dentes com a torneira aberta ou lavarmos o quintal com a mangueira ao invés da vassoura. Pra quê? É muito esforço usar a vassoura, não?
Existem também os sacos plásticos. Este mal ainda irá perpetuar por anos a fio se as autoridades não se mobilizarem para combatê-lo. Pra que levar sacola aos supermercados se temos o conforto dos sacos plásticos. E pra piorar, eles são frágeis, o que muitas vezes exige várias unidades para carregar apenas um produto, multiplicando estes poluidores da natureza como germes insaciáveis à procura de um hospedeiro.

Preservar a natureza exige muita atenção, perseverança e trabalho, pois é uma verdadeira mudança dos nossos próprios hábitos. Não precisamos fazer coisas mirabolantes que estão aquém das nossas possibilidades, apenas devemos observar os pequenos detalhes da nossa rotina diária e tentar realizar as nossas tarefas de forma a causar um menor impacto ambiental.
Todo mundo deveria fazer um exame de consciência para constatar o que daria para ser modificado no seu dia a dia, a fim de contribuir para a preservação do nosso querido planeta. Por isso perguntei se você, meu caro leitor, realizaria tal tarefa por livre e espontânea vontade porque não adianta dizer que está contribuindo se não é de bom grado. Você fará uma, duas, três vezes e vai parar mais adiante.

Além de efetuar ações que minimizam o impacto ambiental, também podemos cobrar das autoridades mais empenho para melhorar ainda mais os recursos de preservação como: construção de ciclovias, melhora do transporte público, estimular a coleta seletiva de lixo, leis que racionem o uso de sacolas plásticas e etc.
A consciência é nossa e a responsabilidade do todo é das autoridades, sendo que um deve complementar o outro na busca pela preservação dos recursos naturais.

Eis a equação:

Exame de consciência + Ações individualizadas de preservação + Atuação das autoridades = PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS

Se todos se preocuparem mais com a natureza, respeitando as suas individualidades, certamente teremos um futuro com mais qualidade de vida, tanto da população, como do planeta. Pense nisso!

18 comentários:

  1. Interessante se perguntar: Se preserva a natureza, por que preserva?
    Confesso que por um tempo preservava o meio ambiente pelo apelo externo, porém hoje, o faço pelo incômodo interno!
    Belo post, belo blog!
    AbraçO!

    ResponderExcluir
  2. Texto bem inteligente, gostei. Seguindo.

    ResponderExcluir
  3. não apenas ajudar a natureza mas sim o q vc faz para melhorar o mundo... acho q um ótimo começo é respeitando o próximo

    parabéns pelo blog, esperamos a sua visita no nosso

    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Òtimo texto, a preservação do planeta hoje é comentada em todo o mundo, mas pouquíssimas pessoas estão realmente interessadas a "consertar" os estragos que o homem fez ao longo do tempo. Por exemplo, elas acham que jogar uma latinha de refrigerante no chão não vai mudar nada, porque ninguém viu e todo mundo faz isso, e esse pensamento é o suicídio do planeta. Acho que as pessoas hoje não estão conscientizada e não estão ligando para o que acontece.Então se elas realmente fazem algo não é por querer reverter o quadro e sim por falar que fez,e que está cooperando.

    ResponderExcluir
  5. todo falam em preservar...mas será que alguem preserva???...acho que não;;;se todos fizessem sua parte por mais que minimo fosse tudo seria diferente...

    ResponderExcluir
  6. Bem interessante o texto.
    O homem só vai respeitar a natureza no da que ele ver que ele é o único que vai se ferrar quando ela acabar.

    :)

    ResponderExcluir
  7. Ta super seu Blog, parabéns!
    Estarei te seguindo e acompanhando seus post!
    Abracinhuuuu....


    http://eujaninha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Jãninha,

    Muito bom o seu blog tb e estou seguindo.
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi querida


    Por essas e outras que voto na Marina,daqui a 20 anos a proxima guerra mundial sera pela agua potavel e nos vamos estar no olho do furacão.

    ah !meu banner ta pronto caso vc queira me colocar como parceiro !
    volte quando quiser
    http://universovonserran.blogspot.com
    um abraço

    ResponderExcluir
  10. a respeito do titulo: Pq é frescura, o que tem é pra usar

    ResponderExcluir
  11. A sustentabilidade humana

    Ivone Boechat

    O homem busca, em desespero, mas antes tarde do que nunca, a preservação do que sobrou neste Planeta. Não é impossível, até porque atitudes simples têm o poder de mudar o rumo de coisas importantes. Mas eis o impasse: por que não se começa a educar para o equilíbrio da ecologia humana? Quanto custa o esforço por um abraço, um sorriso, pela manifestação de afeto, pela demonstração do perdão?
    A Escola gasta quase todo o tempo destinado a ela resolvendo equações de primeiro e segundo graus e a criança vive refém de deveres de casa. Professores desesperados ensinam anos e anos a encontrar o valor de X e o jovem sai, na maioria das vezes, sem encontrar o valor dele mesmo. Dirão muitos que a concorrência exige tudo isso na preparação para a corrida desenfreada ao mercado de trabalho: passar nos concursos, nos vestibulares e arranjar emprego, porque geralmente só passa quem sabe mais equação e rebincoca da parafuseta.
    A educação tem os recursos pedagógicos para orientar a humanidade, ajudando a transformar conceitos. É possível mudar comportamentos. Quem falhou? Ao invés de ensinar só teorias, conteúdos, doutrinas, por que não se ensinam valores? Fé, amor, paz, união, misericórdia, fraternidade, solidariedade, preservação? Ensinar ao homem a ser bom é também um grande desafio à educação. Todas as guerras do Planeta têm origem nas doutrinas.
    Quando o homem reflorestar as ideias, podar os galhos secos da ira, regar suas raízes no manancial da fé, vai colher os frutos de um mundo oxigenado de amor. O homem equilibrado vai equilibrar o Planeta!

    (extraído do meu livro Educação-a força mágica)

    ResponderExcluir
  12. Oração da natureza

    Ivone Boechat

    Senhor, no silêncio da alvorada,
    venho pedir-te um favor:
    que os homens,
    respeitem meu ninho,
    minha eterna morada,
    dá-lhes um pouco mais de amor,
    só um pouquinho,
    Senhor,
    quase nada.

    Amanhecer 4ª.edição 2014 RJ

    ResponderExcluir
  13. A sustentabilidade humana

    Ivone Boechat

    O homem busca, em desespero, mas antes tarde do que nunca, a preservação do que sobrou neste Planeta. Não é impossível, até porque atitudes simples têm o poder de mudar o rumo de coisas importantes. Mas eis o impasse: por que não se começa a educar para o equilíbrio da ecologia humana? Quanto custa o esforço por um abraço, um sorriso, pela manifestação de afeto, pela demonstração do perdão?
    A Escola gasta quase todo o tempo destinado a ela resolvendo equações de primeiro e segundo graus e a criança vive refém de deveres de casa. Professores desesperados ensinam anos e anos a encontrar o valor de X e o jovem sai, na maioria das vezes, sem encontrar o valor dele mesmo. Dirão muitos que a concorrência exige tudo isso na preparação para a corrida desenfreada ao mercado de trabalho: passar nos concursos, nos vestibulares e arranjar emprego, porque geralmente só passa quem sabe mais equação e rebincoca da parafuseta.
    A educação tem os recursos pedagógicos para orientar a humanidade, ajudando a transformar conceitos. É possível mudar comportamentos. Quem falhou? Ao invés de ensinar só teorias, conteúdos, doutrinas, por que não se ensinam valores? Fé, amor, paz, união, misericórdia, fraternidade, solidariedade, preservação? Ensinar ao homem a ser bom é também um grande desafio à educação. Todas as guerras do Planeta têm origem nas doutrinas.
    Quando o homem reflorestar as ideias, podar os galhos secos da ira, regar suas raízes no manancial da fé, vai colher os frutos de um mundo oxigenado de amor. O homem equilibrado vai equilibrar o Planeta!

    (extraído do meu livro Educação-a força mágica)

    ResponderExcluir
  14. A sustentabilidade humana

    Ivone Boechat

    O homem busca, em desespero, mas antes tarde do que nunca, a preservação do que sobrou neste Planeta. Não é impossível, até porque atitudes simples têm o poder de mudar o rumo de coisas importantes. Mas eis o impasse: por que não se começa a educar para o equilíbrio da ecologia humana? Quanto custa o esforço por um abraço, um sorriso, pela manifestação de afeto, pela demonstração do perdão?
    A Escola gasta quase todo o tempo destinado a ela resolvendo equações de primeiro e segundo graus e a criança vive refém de deveres de casa. Professores desesperados ensinam anos e anos a encontrar o valor de X e o jovem sai, na maioria das vezes, sem encontrar o valor dele mesmo. Dirão muitos que a concorrência exige tudo isso na preparação para a corrida desenfreada ao mercado de trabalho: passar nos concursos, nos vestibulares e arranjar emprego, porque geralmente só passa quem sabe mais equação e rebincoca da parafuseta.
    A educação tem os recursos pedagógicos para orientar a humanidade, ajudando a transformar conceitos. É possível mudar comportamentos. Quem falhou? Ao invés de ensinar só teorias, conteúdos, doutrinas, por que não se ensinam valores? Fé, amor, paz, união, misericórdia, fraternidade, solidariedade, preservação? Ensinar ao homem a ser bom é também um grande desafio à educação. Todas as guerras do Planeta têm origem nas doutrinas.
    Quando o homem reflorestar as ideias, podar os galhos secos da ira, regar suas raízes no manancial da fé, vai colher os frutos de um mundo oxigenado de amor. O homem equilibrado vai equilibrar o Planeta!

    (extraído do meu livro Educação-a força mágica)

    ResponderExcluir
  15. Ecologia humana


    Ivone Boechat

    Reflorestar idéias,
    reciclar comportamentos,
    irrigar emoções,
    adubar o terreno
    dos perdões...
    Podar galhos
    ressecados
    de qualquer temor
    dos vencidos...
    aplainar
    o olhar social,
    buscando
    os excluídos, onde for,
    iluminar ,
    oxigenar
    e plantar,
    plantar sementes
    de amor.

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante. Comente!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails